terça-feira, 3 de agosto de 2010

Sonhos e Paranoia

Incrível como um sonho pode influênciar no dia, ou até mesmo na vida, de uma pessoa, principalmente se for um sonho extremamente real, sabe aqueles que você sente o cheiro, o gosto e principalmente o toque das coisas? Esses são os que mais podem abalar a mente das pessoas.

Amigos e entes queridos morrendo, a paixão da sua vida se correspondendo, a promoção do trabalho, sonhos assim, quando levemente reais, já levam as pessoas à divagarem sobre o sobrenatural, sobre a existência de uma inteligência superior, comumente chamada de Deus. Esses sonhos sempre fazem as pessoas à penderem para esse lado. Odeio isso.

Você não tem um sonho ruim só porque uma divindade quer que você saiba que alguém vai morrer ou simplesmente ganhar na loteria. Afinal, se realmente há algo do gênero, o que à propósito não há provas de existência, esse tal ser divino tem muito mais o que fazer do que te avisar dessas coisas.

O que me preocupa de verdade nesse lance todo de sonhos é o fato deles se formarem à partir de informações que pré existentes em nossas cabeças, ou seja, coisas que você sabe, coisas que você deseja ou teme, até mesmo aquelas coisas que seu cérebro captou pelo canto do olho mas você não percebeu.

Uma vez conheci um cara que dizia que sabia mais do que deveria sobre coisas que não queria, esse cara era estranho, sempre sentado com um copo de café, um maço de cigarros e um par de olheiras que deveriam ter começado à se desenvolver no útero da mãe dele, afinal ele parecia um panda.

Nunca tinha visto alguém se abalar tanto por sonhos, nem me atrevia à perguntar com o que ele trabalhava, apenas sabia que ele estava sempre de social, mas com a barba por fazer, então posso apostar em algo de escritório mas nada que ele precisasse lidar com pessoas. Ele não lidava muito bem com pessoas, nem sei como a gente conversava, tavez fosse uma paixão mútua por linux e programação.

Lembro de uma vez que simplesmente surtou, tava chorando no café, parecia uma criança que tinha acabado de ficar órfã. Sim, isso foi culpa de um maldito sonho, ainda lembro dele explicando que tudo pra ele estava caminhando em direção à um abismo, e que no fundo dele tinha todo mundo que ele fodeu na vida, todos prontos para enfiarem a grande tora da vingança no cu dele, não, esse não tinha sido o sonho, esse foi sentimento causado pelo sonho.

Até hoje não sei o que levou ele à chegar nesse estado deplorável, a única certeza é que ele não gozava plenamente das faculdades mentais e seus sonhos simplesmente só pioravam a situação.

Nosso cérebro tem muitos segredos, isso me dá medo.

Não digo um medo baseado em seres imaginários, eu digo o medo paranóico, pois lembre-se: "Paranoico é apenas alguém que tem todas as informações", antes de me falar merda, eu não estou dizendo que sei de tudo e nem que há alguém que saiba, eu estou dizendo que quanto mais informações sobre um determinado evento, principalmente se for contra as regras sociais ou até mesmo um segredo, você tem um maior declínio à paranoia.

Como eu disse antes, sonhos são formados por informações pré existententes nos nossos cérebros, então quando temos um sonho de um nível de realidade perturbador, nossa extrutura emocional vai ao chão, principalmente se a sua vida estiver mais conturbada que o seu normal.

Espero nunca chegar nesse estado.

Um comentário:

Malkav disse...

Talvez você esteja mais perto desse estado do que imagina.

Talvez já tenha até passado dele, e nem sequer percebeu.

As coisas afetam as pessoas de maneiras diferentes.