quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Manah Manah




MANAH,MANAH!

sábado, 16 de janeiro de 2010

Sinceridade: Pratique isso




sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

O humano, o amor e o sexo [Parte I]




Posso resumir tudo que estou prestes à dizer em uma única palavra:
masoquismo:
(Masoch, antropónimo, romancista austríaco [1836-1895] + -ismo)
s. m.
1. Perversão sexual que faz procurar o prazer na dor física e nas humilhações.
2. Por ext. Atitude de uma pessoa que retira prazer ou parece gostar do seu sofrimento ou humilhação.
Agora, "por que isso?" você curiosamente me pergunta, eu calmamente lhe explico que nós humanos realmente temos a grande pré-disposição para estragar aquilo que nos faz bem, caçar defeitos onde aparentemente não há e melhor ainda temos o dom de nos entediar muito facilmente. Mas vamos por partes.

Começando pela "pré-disposição para estragar aquilo que nos faz bem", analise essa frase por partes, nela encontramos a chave "nos faz bem", essa chave em particular não é algo que sabemos que está lá, pois analisando o humano puramente notamos que não notamos quando algo nos faz realmente bem, ou seja, não conseguimos enxergar se algo nos faz bem ou mal, apenas ficamos presos em prazeres imediatos ou observações externas, tais observações que nem sempre querem o nosso bem. Na mesma frase encontramos "pré-disposição para", aqui é bem simples, somos compelidos, mesmo inconscientemente, à algo.

Dito isso, nessa primeira parte notamos que nós não nos adaptamos bem ao que nos faz bem, a maior prova disso são os relacionamentos, mesmo quem está feliz tem algo à reclamar, se não for aos outros é a sí mesmo, o que chega a ser pior pois guardar rancor é o mesmo que tomar veneno esperando que a outra pessoa morra.

Nas frases seguintes chega à ser fácil de entendermos, mas mesmo assim deixe-me explicar que "caçar defeitos onde aparentemente não há" é um costume totalmente auto-destrutivo. Há uma frase antiga que diz "quem procura acha", essa é uma verdade complicada, as pessoas esqueçem que não existe essa tal coisa chamada perfeição, se algo é perfeito é porque você não procurou os defeitos nos lugares certos.

A última frase diz "temos o dom de nos entediar muito facilmente", aqui não há o que discutir, mesmo aquelas pessoas que parecem se adaptar bem à rotinas sentem isso, essa voz que chega devagar e nos lembra que aquilo já passou do prazo de validade, que aquelas ações se tornaram robóticas, que você simplesmente já não pensa antes de fazer essas coisas.

Unindo tudo temos um resultado óbvio que precisa ser dito para as pessoas acordarem e saírem de suas zonas de conforto. Nós humanos, mesmo inconscientemente, quando estamos bem começamos à procurar defeitos nas coisas e pessoas, seja no trabalho que temos um chefe que se tornou chato, ou no namoro onde a(o) namorada(o) ganhou subtamente o dom de te tirar do sério, ou até mesmo no sexo quando as 4 posições básicas já não mais proporcionam prazer.

Tédio é algo aterrador que é criado pela rotina, mas pior que isso, mais aterrador que isso, é a nossa vontade de destruir ao invés de arrumar, as pessoas simplesmente jogam a toalha e acham que foi o melhor para ambas as partes, esquecem que são ambas as partes e não somente a parte delas que deseja ficar bem.

Antes de trair seu relacionamento, antes de se demitir, antes mesmo de pensar em fazer algo que não tenha retorno, pense bem nas formas de tentar arrumar, muitas vezes uma boa conversa ajuda mais do que imaginamos.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

[Selos] Ano do vapor na Loja São Paulo


Separei mais um código com selos, esses selos foram criados pela Tatiana Ruiz e você pode conferí-los na integra aqui e aqui. Logo abaixo vocês conferem o resultado final que é parecido com o anterior, porém esses são somente os voltados para a Loja São Paulo, logo abaixo você também pode pegar o código para por no seu blog ou site.

2010 o Ano do Vapor



domingo, 10 de janeiro de 2010

2010 o ano do Vapor [Parte 2]


Bom, pra quem está aderindo ao Ano do Vapor e adicionando o selo no Blog, site e afins, tenho mais uma surpresa, aproveitei que tenho um outro site onde eu posso programar livremente e hospedar meus brinquedos lá, eu fiz mais um widget pro pessoal Steampunk.

2010 o Ano do Vapor

Esse é um selo que fica alternando entre os selos criados até o momento, à medida que vão aparecendo novos selos eu vou adicionando mais. No presente momento só tem 3 selos, por isso quem quiser criar mais é muito bem vindo. Para adicionar o selo no blog, é só pegar o código abaixo.



sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

E no último domingo...




O pior é que foi assim mesmo huauhahuaauhuha

2010 o ano do Vapor



Curada a ressaca do ano novo, essa semana (que já é sexta...) tô adicionando o selo do "Ano do Vapor". Agora, por que 2010 é o ano do vapor? Eu poderia escrever N motivos, mas aí eu só estaria repetindo o que já foi dito sábiamente em outro blog, então para saber mais bastar acessar aqui http://cidadephantastica.blogspot.com/2009/12/2010-o-ano-do-vapor.html. Sobre o selo, o mesmo foi comentado aqui nesse post http://cidadephantastica.blogspot.com/2010/01/ano-do-vapor-o-selo-2.html.

Quem quiser adicionar este selo em seu blog, tem aqui embaixo:



Um bom ano à todos e que não falte lenha na fornalha!

[Eu Fui!] Pré-Estreia de Sherlock Holmes


Antes de ler o meu post, saiba que não é bem uma resenha sobre o filme, é mais um comentário empolgado sobre a pré-estreia e o filme, uma ótima resenha você vê aqui: Sherlock Homes 2010.




Sim, eu fui na pré-estreia ontem ali no Iguatemi, e devo dizer que esse filme é muito bom, sério, as músicas são incrivelmente impolgantes principalmente a da cena em que o Sherlock luta no ringue. Juro que eu tô tentando conter os spoilers e só vou comentar das cenas que aparecem nos trailers, promos e teaser trailers.

Começando pelo começo, logo antes do filme já foi uma correria, ainda mais considerando que fui acordado sendo informado que eu ia ver o filme, minha única reação foi um sorriso digno de Scheschire Cat. Por sorte a moça Jesse já estava por São Paulo e, por algum pingo de consciência, não foi pra casa dela trocar de roupa, ainda bem se não eu ia ser o único à ir. Por muitos problemas do nosso amigo Murphy, meus confrades acabaram ficando impossibilitados de ir.

Mas enfim, correria alucinada pra chegar lá no finalzinho do horário de pico, chegando lá o grande prêmio, o filme que abriu pra mim esse ano de 2010 com chave de ouro, entrando na sala você já era inundado por boa música, fora quem nem em 10 min que foi aberta a sala já começou o filme, sem trailer já fomos direto pro prato principal.
O filme é muito incrível, você não consegue desgrudar os olhos da tela, muito dinâmico e bem desenvolvido, bom na minha opinião é claro, ainda mais considerando que eu só lí pedaços de livros do Sherlock Holmes (sim eu sei, heresia de minha parte).

Logo no começo a gente vê como é que funciona a cabeça do Sherlock, em várias partes do filme e ele detalha as suas futuras ações que são mostradas em câmera lenta, passo à passo você acompanha a tragetória dele.


Sinceramente o Watson tava muito show de bola, ele e o Sherlock pareciam irmãos, Sherlock o birrento fazendo manha porque não queria que Watson se casasse e se mudasse, e Watson sendo o irmão cabeça no lugar querendo ter uma vida com sua futura esposa.
Devo dizer que a legenda podia ter bem mais impacto em algumas frases, mas isso já é uma coisa padrão por aqui, não é mesmo...?

Cara é difícil comentar de um filme e não dar spoiler. Sério, vão assistir, vale muito a pena, o filme é muito bom!
Mancada o Sherlock não tocar violino, simplesmente usar ele como um banjo em várias cenas. Uma em particular é a dos mosquitos no bar, onde ele consegue com alguns toques no violino fazer com que os mosquitos, que estavam voando aleatoriamente dentro de um vidro, voem em sentido anti-horário, assim como ele mesmo comenta, ele conseguiu criar ordem dentro do caos. Tá certo que ele tenta usar os mesmos acordes quando a Irene Adler aparece em seu apartamento, mas beleza...




s